Resenha #563: Imagine Me - Tahereh Mafi (HarperCollins)

Título: Imagine Me
Título Original: ---
Autor: Tahereh Mafi
Série: Shatter Me #6
Páginas: 464
Ano: 2020
Editora: HarperCollins
Sinopse*: Juliette Ferrars.
Ella Sommers.
Qual é a verdade e qual é a mentira?
Agora que Ella sabe quem Juliette é e para que foi criada, as coisas só se tornaram mais complicadas. Enquanto ela luta para entender o passado que a assombra e olha para um futuro mais incerto do que nunca, as linhas entre certo e errado - entre Ella e Juliette - ficam borradas. E com velhos inimigos se aproximando, seu destino pode não ser o seu próprio controle.
O dia do acerto de contas para o restabelecimento está chegando. Mas ela pode não conseguir escolher de que lado ela luta.


ATENÇÃO! NÍVEL DE RADIOATIVIDADE DESSA BOMBA LITERÁRIA É MAIOR QUE CHERNOBYL!

De uns dois anos pra cá, virou moda ressuscitarem séries láááá do início de 2010. Algumas deram um pouco certo, como Marie Lu como seu Rebel. Outras causaram comoção, como Stephenie Meyer com Sol da Meia-Noite e Suzanne Collins com A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes. Entretanto há uma que deu super errado.

Se eu pudesse voltar uma única vez no tempo para alterar um acontecimento, não seria matar Hitler ou algum fascista que viria a ter uma posição de poder em algum território; teria sido impedir Tahereh Mafi de ressuscitar Estilhaça-me.

Desde Restaura-me eu tenho a impressão que não sigo mais a mesma história iniciada em Estilhaça-me. Como a própria Denise (Queria Estar Lendo) comentou, tudo a partir desse livro é fanfic e eu estava levando assim. Até que em Defy Me ela conseguiu inserir alguns acontecimentos e personagens interessantes que me fizeram até ter um pouco de esperança que a finalização da série viesse a ser algo do meu agrado. Nunca estive tão enganada nessa vida.

A impressão que tive ao ler Imagine Me é que nem a autora sabia o que ela estava fazendo aqui. Praticamente repetiu o mesmo plot de Defy Me, mas umas trocentas vezes pior. Nada fazia sentido, as poucas cenas de ação que teve foram confusas... Tudo se resolveu de uma forma fácil e com um sentimento de tipo "que raios eu li nessa joça, meu pai". Os plots que ela inseriu nos outros livros, que envolviam a família de Juliette, uma irmã dela super overpower e a dominação mundial, foi algo finalizado de forma tão anti-climática que, no fim de tudo, eu queria que o mundo mesmo se explodisse.


Os personagens que já pareciam descaracterizados, aqui a situação piora. Coitada minha Juliette, que era um ícone de personagem, foi reduzida a alguém sem personalidade e (literalmente) uma robô por todo o livro. Warner também virou uma espécie de robô, porém setado para MATAR MATAR MATAR. Não é nem uma questão que ele tenha regredido lá pro início da série, o que seria bem melhor do que a falta de personalidade do personagem também.

De resto, Tahereh parece que lembrou dos esquecidos no churrasco de Defy Me, como Adam. Sei que ele já não era o personagem mais querido de todos, mas o plot dele aqui foi algo tirado aleatoriamente e super golpe baixo. Um ponto que me incomodou bastante o fato dela ter inserido vários personagens nos livros anteriores que poderiam ter uma maior participação: os filhos de outros comandantes. Tirando Nazeera, todos eles foram reduzidos a ruído de fundo.

Inclusive a própria Nazeera parecia mostrar ter um baita potencial, mas foi reduzida a participações especiais e interesse amoroso de Kenji. Já o melhor personagem de toda a série finalmente teve seu valor reconhecido e provavelmente foi a única coisa boa que aconteceu nesse revival. Foi legal ver as coisas pelos olhos de Kenji, apesar de alguns momentos achar que a Tahereh infatilizou suas ações. Poderia até querer um spin-off que envolvesse os dois, mas espero que isso nem passe pela cabeça dela já que a probabilidade dela estragar os dois únicos personagens que se salvam é 10/10. Inclusive, vamos de procurar um RPG pra ele de tanto que carregou os últimos livros na costa.

O epílogo aqui deixou a mesma sensação de quando ela finalizou Incendeia-me: nada de um final concreto e com uma pequena ponta caso ela queira voltar. Espero do fundo do meu coração que ela tenha realmente finalizado tudo aqui e mesmo que ela volte, eu que não me atrevo mais a ler essas bombas literárias. Ainda bem que os acontecimentos dos últimos três livros são esquecíveis (eu mesma nem lembrava de muita coisa), então continuo usando como final definitivo da série o final de Incedeia-me.

No fim das contas, quando achei que nada poderia superar Casa de Terra e Sangue aka Crescent City como pior livro do ano, Imagine Me vem e me prova errada. Pelo menos pro livro da Sarah J. Maas, eu não tinha a mínima esperança de nada. Se comparado com esse, as aventuras de Bryce e Hunt é uma obra prima. Pode entrar Imagine Me, a nova bomba literária do ano! (Pelo menos vai ser mais um pra dividir o hate com Crescent City e as pessoas pararem de achar que estou de implicância com o livro da SJM)



Resenhas anteriores
Livro 1 - Estilhaça-me (Shatter Me)
Livro 1.5 - Destrua-me (Destroy Me)
Livro 2 - Liberta-me (Unravel Me)
Livro 2.5 - Fragmenta-me (Fracture Me)
Livro 3 - Incendeia-me (Ignite Me)
Livro 4 - Restaura-me (Restore Me)
Livro 4.5 - Shadow Me
Livro 5 - Defy Me
Livro 5.5 - Reveal Me

*Sinopse traduzida por mim

8 Comentários

  1. Oi, Lu! Tudo bom?
    Eu tenho quase certeza que o editor obrigou a Tahereh a escrever essa trilogia nova, porque não é POSSÍVEL o tanto que ela estragou a história. Lá fora também só vi crítica negativa dessa 'ressurreição' de Estilhaça-me. É uma bomba sem explicação.
    EU ODEIO O QUE ELA FEZ COM WARNIETTE!!!!!!!!! AAAAAAAAAA
    Meus pêsames pelo tempo perdido com esse troço. E meus pêsames também pro amor que eu sentia pela trilogia original, porque foi-se junto com a coerência narrativa...

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu, amei a resenha hehehe
    Desisti dessa série tem um tempinho, eu adoro seus comentários!
    "NÍVEL DE RADIOATIVIDADE DESSA BOMBA LITERÁRIA É MAIOR QUE CHERNOBYL!"

    Beijos Mila

    Daily of Books Mila

    ResponderExcluir
  3. Oii, adorei a resenha mais confesso que não conheço essa série !!
    Parece ser muito legal!! beijoss
    segredosdamarii.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Lu! Já nem sei mais se vou ler esta série, é livro que não acaba mais e pelo visto a autora não vem trazendo algo que está valendo a pena acompanhar. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  5. Nossa Lu, que sofrimento rsrsrs Deus me dibre que nem comecei a série, agora tenho menos vontade!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Lu, eu só tenho até o terceiro... QUE PENA que o imagine me não foi tão bom KKKK
    e até ganhou o livro bomba do ano kkk

    espero que melhore rsrsrsrsr

    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  7. Olá...
    Amei seus comentários sobre a leitura, você é muito divertida! Foi uma pena a leitura não ter sido tãaao bom assim e acho que essa série não me desperta o interesse, pois, nunca senti vontade de ler.
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Lu! Morri de rir com a resenha! HAHAHHA
    Eu estava pensando em ler essa série pelo tanto de quote legal que vejo no pinterest, mas acontece que comecei o primeiro livro e não consegui sair de 30%.. Minha classificação dos 30%: maçãzinha de chernobyl HHAHAHA
    De quebra, fiquei desanimada de ler Crescent City (e olha que adoro a SJM!!!) e nem li sua resenha ainda.. medinho.
    Um abraço
    https://luibee.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)