Resenha #519: Matéria Escura - Blake Crouch (Intrínseca)

Share:
Título: Matéria Escura
Título Original: Dark Matter
Autor: Blake Crouch
Série: ---
Páginas: 352
Ano: 2017
Editora: Intrínseca
Sinopse: Essas são as últimas palavras que Jason Dessen ouve antes de acordar num laboratório, preso a uma maca. Raptado por um homem mascarado, Jason é levado para uma usina abandonada e deixado inconsciente. Quando acorda, um estranho sorri para ele, dizendo: “Bem-vindo de volta, amigo.”
Neste novo mundo, Jason leva outra vida. Sua esposa não é sua esposa, seu filho nunca nasceu e, em vez de professor numa universidade mediana, ele é um gênio da física quântica que conseguiu um feito inimaginável. Algo impossível. Será que é este seu mundo, e o outro é apenas um sonho? E, se esta não for a vida que ele sempre levou, como voltar para sua família e tudo que ele conhece por realidade?
Com ritmo veloz e muita ação, Matéria escura nos leva a um universo muito maior do que imaginamos, ao mesmo tempo em que comove ao colocar em primeiro plano o amor pela família. Marcante e intimista, seus múltiplos cenários compõem uma história que aborda questões profundamente humanas, como identidade, o peso das escolhas e até onde vamos para recuperar a vida com que sonhamos.


Matéria Escura é um livro que fez muito desde seu lançamento. Apesar da premissa ser interessante, Blake Crouch pecou na execução.

Como boa amante da teoria do multiverso (acredito fielmente que existe um 'verso em que não temos aquela coisa como figura de presidência), eu sou bem crítica quando esse assunto é explorado. A versão criada por Blake é bastante interessante e bem embasada. Suas explicações podem soar um pouco confusas, visto o momento que são dadas, mas até que é entendível para os leigos (como eu) de física. Em Matéria Escura, Blake utilizou também da teoria do gato de Schrödinger na questão do multiverso.

Para quem não sabe, o Gato de Schrödinger é uma experiência desenvolvida pelo físico austríaco Erwin Schrödinger, em 1935. No exemplo, há um gato em uma caixa, de forma a não estar apenas vivo ou apenas morto, mas sim vivo e morto. Ou seja, podendo estar em vários estados ao mesmo tempo, mas só teremos certeza (nesse caso se está vivo ou morto) ao abrirmos a caixa. O lance é que, ao abrirmos a caixa, o gato passa somente a ter um estado - vivo ou morto - e qualquer outro estado é destruído por essa ação.

O mesmo funciona para a teoria do multiverso de Crouch: ele se utilizou dessa "caixa" como uma força de ponto de união de vários universos, mas a partir do momento que você sai da caixa, você deixa de estar presente em todos os outros universos.

A escrita de Blake de certa forma também ajuda no entendimento e no ritmo de leitura. Ela é bem direta e precisa, sem muitas descrições desnecessárias. Blake também é roteirista e você fica o livro todo com a impressão que aquilo tudo é um grande roteiro (Não duvido mesmo, já que logo quando foi lançado, os direitos de adaptação foram adquiridos).


Sobre Jason Dessen, bem.. para um físico quântico, ele consegue ser bem burro em alguns momentos. Ele não é um personagem tão cativante assim, mas ele passa por tanta coisa que você acaba torcendo para que ele consiga voltar para sua família.

Por mais Blake tenha acertado na premissa da história, sua execução não foi das melhores. O início pode soar confuso, mas creio que esse foi o objetivo já que o livro é narrado em primeira pessoa por Jason e nem o cara sabe o que está acontecendo direito. Temos alguns capítulos alternados em terceira pessoa, mostrando a vida do "Jason" junto à sua família que, particularmente, creio que não adicionou muito na história

Um dos problemas foi o fato do autor estender no meio do livro com informações sobre o funcionamento da caixa já que não era necessário esse foco todo, uma vez que o leitor sabendo como funciona o ponto de união dos multiversos, não precisava repetir várias e várias vezes.

Outro ponto que me fez diminuir a nota foi um furo na reta final. Por ter estendido demais o meio da história, a reta final ficou um tanto corrida e com uma baita furo na sua própria teoria do multiverso, na minha opinião. Por mais que uma teoria assim não seja 100% absoluta, há alguns paradigmas que não podem ser mudados. Conversando com uma amiga que já leu, ela me explicou em como ela tinha entendido esse dito furo, mas na minha cabeça não faz muito sentido.

Quando aos personagens secundários, eles não são muito explorados. A esposa e o filho de Jason tem um maior foco na reta final. Uma outra personagem que também é de grande ajuda a Jason, o autor dá um sumiço nela na metade do livro e até agora estou me questionando o seu futuro.

No fim das contas, Matéria Escura prometeu e não cumpriu o bastante para me agradar. Entretanto, ainda desejo conferir Recursão, outro trabalho de Blake, que parece ser mais interessante. O livro já teve seus direitos de adaptação adquiridos pela Sony Pictures.

10 comentários:

  1. Olá, Luiza.
    Eu só vejo elogios a esse livro e estava até pensando em comprar ele. Mas agora lendo sua resenha, e vendo sua nota, acho que vou deixar passar. Não vai ser uma leitura que vou gostar.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Poxa, a premissa do livro é mesmo bem legal, uma pena que o autor não soube executar a história. Deve ter sido massante ler o tempo todo a explicação de algo que já foi entendido... Ao que me parece o autor devia ter enrolado menos no meio do livro e apostado em um final mais interessante.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    É bem chato quando o enredo tem tudo para ser bom e o autor não consegue desenvolver né?!

    Espero que esteja bem.
    Beijão!
    Lumusiando

    ResponderExcluir
  4. Oi, Lu

    Você sabe que a proposta não é muito minha praia. Meu 'Mil Pedaços de Você' já foi embora há muito tempo por causa disso. hahahah Que pena que ele prometeu muito e cumpriu pouco, agora é esperar pra ver se a adaptação tira água de pedra.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  5. Eu amo muito esse livro. Comecei ele imaginando que seria bem chato por conta de todas os conceitos científicos, mas a experiência funcionou perfeitamente comigo. É uma pena que você não tenha gostado. Eu também li Recursão e amei, espero que você goste <3.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  6. Oi, Lu
    Que tiro no pé esse livro. Eu vi que muita gente tinha gostado mas só agora fui ler uma resenha a respeito, e nem lascando vou ler. Detesto física e nem entendi Interestelar até hoje então imagina minha mente se eu lesse esse troço. Ma eu gosto da capa.
    Beijo!
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Lu! Tudo bom?
    Eu tenho curiosidade de ler esse livro por causa da questão do multiverso, amo ver as diferentes formas de exploração dessa teoria. Mas se as partes dos personagens são fracas, ai já fico meio assim... Haja paciência pra aguentar história sem desenvolvimento forte pra quem move elas, né?

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá, boa tarde .
    Nunca li , parece ser um ótimo livro.

    Segredosdamarii.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Eu li o primeiro capitulo de "Matéria Escura" em uma livraria do shopping Guararapes e fiquei encantada, precisei me segurar muito para não pegar o livro ali mesmo e seguir lendo. Posteriormente comprei o livro, essa é a primeira resenha do livro que leio, porque fugi de todas as outras, depois dela ajustei minhas expectativas em relação a história.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)