Resenha #311: A Dama da Meia-Noite - Tessa Dare (Gutenberg)

Share:
Título: A Dama da Meia-Noite
Título Original: A Lady by Midnight
Autor: Tessa Dare
Série: Spindle Cove #3
Páginas: 288
Ano: 2015
Editora: Gutenberg
Sinopse: Pode um amor avassalador apagar as marcas de um passado sombrio?
Após anos lutando por sua vida, a doce professora de piano, Srta. Kate Taylor, encontrou um lar e amizades eternas em Spindle Cove. Mas seu coração nunca parou de buscar desesperadamente a verdade sobre o seu passado. Em seu rosto, uma mancha cor-de-vinho é a única marca que ela possui de seu nascimento. Não há documentos, pistas, e nem ao menos lembranças
Depois de uma visita desanimadora para sua ex-professora, que se recusa a dizer qualquer coisa para Kate, ela conta apenas com a bondade de um morador de Spindle Cove, o misterioso, frio e brutalmente lindo, Cabo Thorne, para voltar para casa em segurança. Embora Kate inicialmente sinta-se intimidada por sua escolta, uma atração mútua faísca entre os dois durante a viagem. Ao chegar de volta à pensão onde mora, Kate fica surpresa ao encontrar um grupo de aristocratas que afirma ser sua família.
Extremamente desconfiado, Thorne propõe um noivado fictício à Kate, permitindo-lhe ficar ao seu lado para protegê-la e descobrir as reais intenções daquela família. Mas o noivado falso traz à tona sentimentos genuínos, assim como respostas às perguntas de Kate.
Acostumado com combates e campos de batalhas, Thorne se vê na pior guerra que poderia imaginar. Ele guarda um segredo sobre Kate e fará de tudo para protegê-la de qualquer mal que se atreva atravessar seu caminho, seja uma suposta família oportunista ou até ele mesmo.


Se você não leu os livros e/ou resenhas anteriores, não se preocupe
Essa resenha é livre de spoilers

A Dama da Meia-Noite é o terceiro livro da série Spindle Cove. Apesar de ter gostado da história (vide a nota), creio que essa é a história mais fraca dentre os outros livros e eu vou explicar o porquê.

Srta. Kate Taylor cresceu em um orfanato. Apesar de seu passado um tanto triste, a professora de música de Spindle Cove é bem espirituosa, esforçada, gentil e tende a ver o lado bom da vida. Todos na vila parecem gostar de Kate, exceto pelo Cabo Thorne.

Cabo Samuel Thorne é o comandante da milícia, na ausência do Lorde Rycliff. Seu jeito taciturno e mal-humorado causa vários sentimentos entre os habitantes de Spindle Cove. Em 90% dos momentos, ele exerce um temor, mas os outros 10% pertencem às mulheres, que suspiram pelo cara.

Com a chegada dos Gramercy, uma excêntrica família, os quais creem que Kate é uma prima ilegítima perdida, Thorne inventa um noivado fictício com Kate, no intuito de protegê-la. A professora tira proveito para tentar descobrir os segredos que o soldado esconde por trás do olhar frio, mal sabendo que alguns são sobre seu passado.

Comparando com os livros da série que já li, A Dama da Meia-Noite tem uma carga dramática que os outros não tem, tudo isso por conta do passado de Kate e Thorne. Enquanto Kate sempre enfrentou tudo de cabeça erguida, sem se deixar abater, Thorne é um homem amargurado, com seus próprios fantasmas.

Infelizmente eu não senti tanta química entre Kate e Thorne como eu senti com os outros casais. Assim como Colin e Minerva (Uma Semana Para Se Perder), os dois já se conheciam a bastante tempo e com esse noivado fake, os sentimentos só fizeram aumentar. Porém, quando eles estavam juntos, eu não conseguia ver aquela química saltando das páginas quanto dos outros casais, a não ser nas cenas mais sensuais. Boa parte das suas interações eram compostas por discussões bestas e murro em ponta de faca.


O fato que me fez achar a história um tanto fraca foi o típico drama do macho que não se acha bom o suficiente para a mocinha. Particularmente, eu já saturei desse tipo de desenvolvimento. OK que até o Colin no livro passado ainda passou por essa fase, mas aqui esse dilema se perdurou do início até o final. Literalmente já que no penúltimo capítulo e ainda rolando esse drama. Thorne sempre dizendo que não merecia Kate e ela sempre validando seus sentimentos por ele. Isso fez com que a história se tornasse cansativa e repetitiva em certos momentos, mas quem salvou mesmo tudo foram os excêntricos Gramercy.

Creio que, em toda série de época, tem que haver uma família meio louca e aqui são os Gramercy, representados pelo lorde Evan Drewe, ladies Lark e Harriet Harry e tia Sagui. Eles são responsáveis pelos alívios cômicos na história com toda sua irreverência, humor ácido e provocações entre familiares. Antes mesmo de comprovarem se Kate faz realmente parte da família, todos se apegam real oficial a moça. Assim como Thorne desconfia deles, eles também desconfiam do soldado, mas no fundo todos têm o mesmo objetivo: o bem estar da professora.

Tessa já é conhecida por suas alfinetadas na sociedade londrina daquela época, principalmente sobre o papel da mulher. Nesse livro, ela insere Harry que tem como companheira Ames. Isso mesmo, companheira. Achei interessante o modo como ela apresentou e colocou a relação das duas mulheres, me fazendo questionar se era algo que realmente acontecia naquela época.

Apesar da carga dramática, Tessa não desaponta na sua escrita fluída, diálogos inteligente e situações tão cômicas que chegam a ser absurdas e você simplesmente não consegue parar de rir. Com certeza acho que nunca irei ler um duelo tão maluco quanto o que aconteceu nesse livro.

A Dama da Meia-Noite foi um tanto dramático demais pro meu gosto, mas não deixou de ser uma boa leitura.

Resenhas anteriores
Livro 1 - Uma Noite Para Se Entregar (A Night to Surrender)
Livro 1.5 - Once Upon a Winter's Eve
Livro 2 - Uma Semana Para Se Perder (A Week to be Wicked)

12 comentários:

  1. Oi Lu!
    Adooooro carga dramática, então acho q iria gostar, rs
    Mas casal sem química n dá, espero n achar isso tbm XD
    Tô animada pra ler esse volume!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oiii Lu

    Ah eu não curto esse clichê do macho que não se acha bom, assim como tb detesto a mocinha que acredita não estar à altura do cara....me cansa total.
    Mesmo assim eu quero demais ler os livros da Tessa, até porque as histórias anteriores parecem ter sido tão legais!

    Beijokas

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  3. Oii Lu.
    Eu li o primeiro livro da série mas achei ela um tanto fora da casinha para mim kkk Acredita, a louca da fantasia consegue ver irrealidade em romances de época!!
    De modo que fiquei receosa de ler os outros. Sua resenha me anima e me desanima ao mesmo tempo. Você diz que gostou dos outros, o que me faz pensar que talvez eu possa gostar. Contudo o mesmo não se aplica a esse. Não gosto da perduração de carga emocional. Ainda uma tão batida.
    Achei bem legal sua resenha.
    Beijos.

    Blog: Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  4. Eu gostei de drama, digo isso refletindo sobre os filmes que eu vejo ou por leituras que faço hahaha. ;)

    O Planeta Alternativo

    ResponderExcluir
  5. Amei sua resenha, Lu. Uma pena o livro não ter surpreendido, também já fiquei saturada de romances assim, onde um não se sente suficiente para o outro e fica aquela lenga lenga.

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Lu! Acho que os romances de época mais dramáticos que li até hoje foram da Elizabeth Hoyt na Trilogia dos Príncipes e gostei dessa atmosfera diferente no gênero que, geralmente, é repleto de clichês (que eu também adoro... aliás, vejo que adoro tudo em romance de época, hahaha). Ainda não comecei essa série, mas tenho certeza que vou adorar, porque a outra série da Tessa Dare ganhou meu coração. Acho que meu problema com esse livro em especial será me conectar com o protagonista, tenho dificuldade de gostar de personagens amargurados, mas vamos lá...
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Luuuuu!!!
    Acredita que eu perdi a chance de conhecer a Tessa?
    Ela esteve num evento em Salvador mês passado, eu estava na cidade e não sabia. Fiquei sabendo quando eu já tava em casa, pense numa pessoa chateada...
    Nunca li nada dela, mas tenho dois livros aqui :/
    Drama demais também me incomoda, mas eu creio que eu gostaria dessa leitura.

    Muitos beijos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  8. Olá, Luiza.
    Eu acabei de ler Como se livrar de um escândalo e amei a escrita da autora e como é o quinto livro dessa série já quero ler esse e os outros da série. E agora que você falou, lá tem uma personagem que é casada com um homem mas que tem uma mulher de amante. Nunca tinha visto isso em romances de época.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Eu queria uma história para o irmão mais velho da família mais maluca que você respeita.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Lu!
    Eu estou tendo uma overdose de Tessa Dare ultimamente haha Parece que todo mundo está lendo esses livros, menos eu! Aliás, vou tentar mudar isso ainda esse mês. Espero que eu goste da mesma forma que você.
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  11. Olá Lu, tudo bem?

    Eu já li os três e o segundo continua sendo o meu favorito. Gostei desse e concordo com a maioria dos fatos que você citou, o Thorne ficar repetindo essa historinha toda hora, foi bem irritante, mas a leitura valeu a pena.

    Beijos!

    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Lu

    Tenho que tomar vergonha e ler logo um livro da Tessa, viu.
    Uma pena que esse foi meio fraco e que você não viu química entre o casal.
    Agora achei bacana a abordagem de uma relação homoafetiva. A Julia já abordou isso no quarteto, mas bem sutilmente.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)