Resenha #244: This Savage Song - Victoria Schwab (Greenwillow Books)

Share:
Título: This Savage Song (BR: A Melodia Feroz)
Título Original: ---
Autor: Victoria Schwab
Série: Monsters of Verity #1 (BR: Monstros da Violência #1)
Páginas: 427 (BR: 384)
Ano: 2016 (BR: 2017)
Editora: Greenwillow Books (BR: Seguinte)
Sinopse*: Kate Harker e August Flynn vivem em lados opostos de uma cidade dividida entre Norte e Sul, onde a violência começou a gerar monstros de verdade. Eles são filhos dos líderes desses territórios inimigos e seus objetivos não poderiam ser mais diferentes. Kate sonha em ser tão cruel e impiedosa quanto o pai, que deixa os monstros livres e vende proteção aos humanos. August também quer ser como seu pai: um homem bondoso que defende os inocentes. O problema é que ele é um dos monstros, capaz de roubar a alma das vítimas com apenas uma nota musical. Quando Kate volta à cidade depois de um longo período, August recebe a missão de ficar de olho nela, disfarçado de um garoto comum. Não vai ser fácil para ele esconder sua verdadeira identidade, ainda mais quando uma revolução entre os monstros está prestes a eclodir, obrigando os dois a se unir para conseguir sobreviver.


Carne e osso contra dentes e garras.*

This Savage Song é o primeiro livro YA da Schwab que leio. Até agora, só havia lido as fantasias adultas dela (Tons de Magia e Vicious) e estava um pouco receosa porque é para um público diferente do que já li. Pela nota percebe-se que ela não me decepcionou.

Creio que o que melhor colaborou para a boa leitura foi a escrita da Victoria. Aqui, eu achei ela muito parecida com o modo como ela escreve os seus outros livros adultos e isso pra mim foi uma grande vantagem justamente por já estar acostumada. A narração em terceira pessoa, ora focando em August ora em Kate, também foi bem vantajoso. A autora foca nos sentimentos dos personagens, mas sem negligenciar os acontecimentos ao redor. Tudo isso em um ritmo constante, sem ser enfadonho ou corrido demais.

As únicas pessoas que se escondiam eram aquelas que tinham alguma coisa a esconder.*

Eu tentei evitar fazer comparações mas foi praticamente impossível não achar semelhanças em Kate e Lila Bard. A personalidade das duas são bem parecidas: personagens fortes e destemidas, que às vezes riem na cara do perigo. A diferença entre as duas é que, enquanto Lila é muito impulsiva, Kate é calculista. Do outro lado, temos August para equilibrar a história. Indo contra sua natureza, ele é um personagem sensível e um tanto inocente. Foi bem interessante ver os dois interagindo e percebendo tanto o contraste das personalidades e como isso equilibra a história.


Sem querer, Kate e August se veem no meio de uma guerra - há muito acontecendo de forma velada - não só entre o Norte e Sul de V-City, mas também entre humanos e monstros. Mas analise bem antes de você se deixar cair no conceito básico de humanos e monstros. Nesse livro, alguns humanos podem ser mais cruéis e terríveis do que os monstros.

- Você queria se sentir vivo, certo? Não importa se é monstro ou humano. Viver dói.*

Eu achei super criativo como a Victoria utilizou o conceito de violência nesse mundo criado. O dito “violência gera violência” é realmente concreto aqui, resultando em monstros. O mais interessante desses monstros são suas origens violentas; dependendo do crime cometido, nasce um tipo de monstro.

Outro detalhe que achei genial na história não tem tanto a ver com a história em si. A citação no início do livro é de um personagem de outro livro da Victoria. Victor Vale é um dos protagonistas de Vicious e de certa forma as duas histórias trazem questionamentos parecidos. Infelizmente Vicious ainda não saiu aqui no Brasil.

O livro é dividido em quatro partes, sendo a última mais emocionante e angustiante. Por ser uma duologia, achei que ia ter muita coisa jogada, poucas explicações e um monte de ponta solta para o próximo livro. Felizmente, a maioria das tensões são resolvidas aqui e de forma bem trabalhada, mas ainda deixando algumas pontas a serem conectadas em Our Dark Duet.

- Por que tem tantas sombras no mundo, Kate? Não deveria ter a mesma quantidade de luz?*

Falando no dito cujo, eu só ainda não devorei Our Dark Duet pois estou esperando um amigo para lermos juntos. A Seguinte já anunciou que o livro sairá ainda no primeiro semestre. Só nos resta esperar para saber o que o futuro aguarda para Kate e August em Verity.

Ele poderia ser o monstro se isso fizesse os outros continuarem humanos.*

* Sinopse e quotes retirados da edição da Seguinte 

16 comentários:

  1. Oi, Lu!

    Acho que a sua é a quarta resenha que vejo desse livro só essa semana, e to achando que é um sinal pra que eu pare de enrolar e pegue logo a obra pra ler hahaha adoro a premissa, essa relação toda entre humanos e monstros, parece ser um livro muito bem escrito e inovador. Ótima resenha!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu :)
    Todo mundo tem falado muito bem das fantasias da autora! É um gênero q eu preciso ler mais, então está na minha lista! A premissa é realmente bem interessante!
    Bjs, te indiquei num prêmio lá no blog <3
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi! Esse livro está sendo muito elogiado e como não costumo ler o gênero me vejo curiosa com a história. Foi muito interessante surgir monstros a cada violência. Espero ler um dia. Bjos ❤

    Click Literário

    ResponderExcluir
  4. OI, Lu.
    Eu achei que você já tinha lido esse livro, não sei porque kkk mas eu também quero muito ler esta história, e olha que eu tenho tudo pra não gostar dela. Mas eu acho interessante também esse papel da violência neste mundo que a autora criou, dando o contraste com os humanos, que convenhamos, é sim bem pior que muitos monstros por aí. Espero gostar da história.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Lu!
    Esse livro está na minha lista há um tempinho e espero poder ler em breve! Gosta bastante da escrita a autora.
    E bati o olho no comentário da Mika e vou precisar repetir o que ela disse: eu também achei que você já tinha lido esse livro e não sei o motivo haha Vai entender!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  6. Oi Lu, acredita que ainda não conhecia esse livro? As obras dessa autora são bem comentadas, já anotei a dica. <3

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Lu, a autora não decepciona né? Lá no blog a Ariane leu e amou e pretendo ler pq a narrativa dela é bem envolvente!! <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Oi Lu!
    Menina, que sinopse interessante! A violência cresce tanto ao ponto de gerar monstros de verdade... Se for analisar, podemos dizer que é uma alegoria a nossa sociedade, pois, nossas atitudes podem nos tornar em monstros ou em guardiões, basta escolher um lado, né não?

    Beijoooo

    ResponderExcluir
  9. Oi Lu! Eu adoro este livro, na verdade eu prefiro os YA da autora. Estou ansiosa pela sequencia. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  10. Gostei da resenha. Vou procurar saber mais sobre esse livro
    os relatos de uma jornalista

    ResponderExcluir
  11. Oi Lu!
    Não sou muito chegada a temas com monstros/violência e acho que você vem me convencendo a tentar arriscar e sair da minha zona de conforto.
    Acho maravilhoso a sua forma de se expressar nas resenhas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi Lu,

    Tenho muita vontade de conhecer a narrativa da autora, tanto dessas outras séries quanto deste livro mesmo, ainda não sei qual livro será o meu primeiro da série, porém quero muito ler este livro!
    Amei a Resenha!!

    Beijos Mila
    Daily of Books

    ResponderExcluir
  13. Olá, Luiza.
    Eu amei esse livro. Foi minha primeira leitura do ano. E agora quero muito ler outros livros dela. Achei genial o contraste entre as personalidades dos protagonistas.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  14. Oi Luiza!
    Se teve uma autora que me conquistou em 2017 foi a Victoria.
    A escrita dela é muito envolvente,com mundos perfeitamente bem criados e nesse livro não seria diferente.Ela pega o conceito de violência e trabalha ele de uma muito verdadeira.
    Esperando ansioso pela continuação!
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Eu ainda não parei para estudar a história/historicidade do conceito de "HUMANO", mas seja lá qual for a história desse conceito a Humanidade é tudo menos Humana. Lembrei disso quando você falou dos monstros mais humanos, é engraçado como a literatura de fantasia consegue criticar e apontar as fragilidades da nossa sociedade, eles fingem que escrevem sobre outros mundos mas é bem daqui que falam e isso sem deixar de ser lúdico. Queria muito aprender a falar da realidade sendo ludica como as autoras de fantasia ai as aulas de História não iam ser chatas de doer hahah Essa metafora de violências que viram monstros é bem perfeita viu!

    Assim como estou menos constante na blogosfera literária, não tenho estado em uma vibe YA, acho que até minha eterna vibe Romances Históricos que ameaçava ser eterna amornou um pouco estou em uma onda "clássicos", "ficção cientifica", existencialismo e IAN (melhor série do Multiverso), mas fiquei com muita vontade de ler "A melodia feroz" depois de ler sua resenha.

    Jaci
    Uma Pandora e Sua Caixa

    ResponderExcluir
  16. Oi Lu!
    Ainda não li nada da autora, mas a cada resenha dos livros dela tenho mais vontade de conhecer a escrita da mesma. Gostei do lance de "violência gera violência", fiquei bem curiosa pra saber mais. Gostei da autora não enrolar nesse só pra depois jogar tudo na sequência.
    Beijos

    www.lendoeapreciando.com

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)