Resenha #234: Six of Crows - Leigh Bardugo (Henry Holt)

Share:
Título: Six of Crows (BR: Six of Crows - Sangue e Mentiras)
Título Original: ---
Autor: Leigh Bardugo
Série: Six of Crows #1
Páginas: 463 (BR: 376)
Ano: 2015 (BR: 2016)
Editora: Henry Holt (BR: Gutenberg)
Sinopse*: A oeste de Ravka, onde Grishas são escravizados e envolvidos em jogos de contrabandistas e mercadores...
…fica Ketterdam, capital de Kerch, um lugar agitado onde tudo pode ser conseguido pelo preço certo. Nas ruas e nos becos que fervilham de traições, mercadorias ilegais e assuntos escusos entre gangues, ninguém é melhor negociador que Kaz Brekker, a trapaça em pessoa e o dono do Clube do Corvo.
Por isso, Kaz é contratado para liderar um assalto improvável e evitar que uma terrível droga caia em mãos erradas, o que poderia instaurar um caos devastador. Apenas dois desfechos são possíveis para esse roubo: uma morte dolorosa ou uma fortuna muito maior que todos os seus sonhos de riqueza.
Apostando a própria vida, o dono do Clube do Corvo monta a sua equipe de elite para a missão: a espiã conhecida como Espectro; um fugitivo perito em explosivos e com um misterioso passado de privilégios; um atirador viciado em jogos de azar; uma grisha sangradora que está muito longe de casa; e um prisioneiro que quer se vingar do amor de sua vida.
O destino do mundo está nas mãos de seis foras da lei – isso se eles sobreviverem uns aos outros.


“Sem luto”
“Sem funerais” *

O primeiro livro que li da Leigh Bardugo foi Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra e gostei muito da escrita dela combinada com a narração em terceira pessoa. Na Trilogia Grisha, temos o prólogo e o epílogo em terceira pessoa, mas o resto da história é narrado em primeira. Não que foi de toda ruim, mas quando terminei de ler Six of Crows percebi que a mulher escreve bem melhor com a narração em terceira pessoa. E esse tipo de narração caiu como uma luva na história. Não sei se ela ficaria legal com narração em primeira pessoa, mas espero que a autora continue na narração em terceira, porque esse é o seu forte

Fora o fato da narração, é muito perceptível a evolução dela como autora. Não sei se influenciou em Grisha o fato do livro ser narrado em primeira pessoa, mas tanto aqui quanto em Sementes da Guerra, percebi a escrita da Leigh mais amadurecida. Amadurecida sim, mas nunca prolixa ou entediante.

“Este não é um trabalho para os soldados e espiões treinados. É um trabalho para assassinos e ladrões.”*

Confesso que eu fiquei super nervousa quando comecei a ler esse livro de tanto que todo mundo falava bem. Tipo, every fucking person e eu até acendi uma velinha para que eu não fosse aquela que não iria curtir. Devo dizer que se tem um livro que eu queria ter escrito, esse é o livro.

“A ganância se curva a mim. É minha serva e minha alavanca.” *

Dessa vez, Leigh Bardugo nos leva a Ketterdam e apresenta seis personagens que tinham tudo para serem odiados, mas que acabam te conquistando justamente por suas personalidades e falhas. O melhor de tudo desse grupo é que todos são diferentes, tanto em personalidade quanto convicções.Eu fiquei aqui matutanto a cabeça e muito de cara como a Leigh conseguiu equilibrar esses criminosos e fazer com que eles realmente funcionassem, sem que ficasse algo forçado ou muito surreal.


Kaz é um personagem que tinha tudo para ganhar meu desprezo, mas a inteligência e sagacidade do cara me conquistou de uma forma que eu nem sei explicar. Inej e Nina com todo girl power e amizade entre as duas é uma das melhores coisas do livro. Morria de deleite com a dupla Wylan e Jesper. Já Mathias é aquele cara que te deixa com os dois pés atrás com ele, mas depois de muita provação tudo fica a mil maravilhas.

Um apostador, um criminoso condenado, um filho desgarrado, uma Grisha perdida, uma garota Suli que se transformou em assassina, um garoto do Barril que se tornou algo pior.*

Eu vi alguns comentários sobre ser forçado algumas atitudes dos personagens em relação a idade eles. Não vou mentir, no começo eu fiquei sim com um pé atrás, mas depois que Leigh vai mostrando o passado de cada um, eu mudei de ideia. Generalizando, todos passaram pelo pão que o diabo amassou e em certo momento da vida, era aquela de matar ou morrer. Como eu nunca morei na rua, perdi meus pais e/ou vivi num país em guerra civil, pra mim não é difícil acreditar que o passado deles os moldaram no que são agora.

“Eu nunca menti para você. Nunca mentirei.”*

Quanto à tão falada missão na sinopse, gente... Teve hora que pensei “é agora que a casa cai”. Até tudo realmente acontecer, você fica no escuro e só resta torcer pra tudo acabar bem e ninguém aparecer morto. É nessa sequência de acontecimentos que vemos o quanto Bardugo evoluiu desde Sombra e Ossos, por exemplo. Eu não conseguia mais parar de ler e ao mesmo tempo ficava naquela “não quero ver”. Não é à toa que muita gente diz que é Onze Homens e Um Segredo versão Grishaverso. Pois eu digo isso e ainda acrescento que é como se esse filme e Um Truque de Mestre reproduzissem um filho de 465 páginas.

Six of Crows se passa no mesmo universo Grisha; pra ser mais exato, um pouco depois de todos os acontecimentos de Ruína e Ascensão. Não é exatamente necessário ter lido a trilogia para cair de cabeça nessa história, mas, por experiência própria, eu recomendo que leia a trilogia antes para entender melhor sobre os Grisha. Maaas, se não quiser fazer isso, eu acho que essa Grishapedia (é por essas e outras que amo meu país internet) deve cobrir tudo o necessário sobre o Segundo Exército de Ravka.

Ainda bem que eu decidi sair o segundo pra poder comprar os dois juntos porque, depois daquele final, eu acho que não seria gente até ter Crooked Kingdom em mãos.

*Sinopse e quotes retirados da edição da Gutenberg

14 comentários:

  1. The cover looks very impressive! Thanks for sharing. :)

    Visit me at:
    Shoot for the stars

    ResponderExcluir
  2. Quando você falou sobre o histórico das crianças cuja a história é contada em Six of Crows eu pensei: crianças de suburbio crescem mais rápido pq não tem tempo para serem crianças. Basta vim para a periferia que a gente encontra crianas assim que fazem coisas maduras demais para suas idades, a vida as molda. Dei aula por três anos em uma escola particular e dou aula hoje em uma escola publica, os alunos tem a mesma idade, a maturidade deles é TOTALMENTE diferente da dos meninos da particular que vivem uma vida protegida, vão para a escola de condução, voltam nela, não precisam bater um prego numa barra de sabão.

    Fiquei com vontade de ler sim, adorei a resenha "com certeza", você está cada dia melhor nessa arte de seduzir as pessoas para lerem os livros que você gostou de ler! Amo Demais!!!

    Jaci
    Uma Pandora e Sua Caixa

    ResponderExcluir
  3. Amei tanto essa história, ela descreve uma realidade comum, amo os livros que você compartilha!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  4. Oii Lu, amei a sua resenha, menina eu nunca li nada da autora e todo mundo comenta super bem dos livros dela, com certeza já fiquei com vontade de ler esse, a sinopse me chamou muito a atenção.
    - Beijos, Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Lu,

    Acho linda essa edição, ela tem páginas pretas ou vermelhas?
    Desde que vi a edição num vídeo no youtube eu fiquei doida para ler, mesmo sem conhecer a autora, adorei ler sua resenha, está maravilhosa, me deixou mais curiosa ainda!!!

    Beijos Mila
    Daily of Books

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia o livro, mas também não faz muito o meu género, apesar de parecer ser interessante =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  7. Oi Oi Lu!
    Eu adorei a resenha. Recentemente eu comprei o esse livro, porque eu queria saber como era a escrita da autora. Mas, eu não sabia que a história era tão boa assim. Estou muito ansiosa para começar a minha leitura, e espero gostar também.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  8. Oi Lu.
    Acho tão empolgante as suas resenhas sobre distopias. Eu não sou fã, não curto ler, mas você consegue me deixar mega curiosa pra conferir hahahahaha
    Beijokas
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi Lu! Ás vezes um narrador é melhor na terceira pessoa mesmo, embora eu ache que seja mais difícil, mas tb depende da história. O enredo parece ótimo e acho sempre melhor comprar mais de um volume mesmo em séries, odeio a espera rsrsrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia esse livro e mesmo que não seja de um gênero que eu goste, achei bem interessante a premissa.

    Beijoss
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
  11. Luiza, como eu ainda não conhecia esse livro? Parece incrível! Bem do jeito que curto.

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  12. Parece uma história incrível, mas não curto muito livros desse gênero, ainda assim sua resenha me deixou curiosa, você soube descrever muito bem a história e nos instigou a ler! Adorei!

    http://www.leitorasvorazes.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oiê!
    Dessa autora só li a Trilogia Grisha e amei! Confesso que prefiro narração em terceira pessoa, mas essa autora escreve tão bem que adorei a trilogia.
    Six of Crows já li várias resenhas positivas sobre, porém ninguém ressaltou esses pontos tão específicos como a evolução da narração da autora, o que me interessou ainda mais! Não vejo a hora de ler também! *___*
    Bjs

    http://livrelendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Luiza!
    Ainda fico em dúvida em ler ou não os livros da autora.
    Tenho o primeiro da trilogia Grisha,mas acabei não lendo.Todo mundo diz que Six Of Crows é beeem melhor que a trilogia Grisha,o que me deixa ainda mais em dúvida.
    É bom ver quando os autores evoluem a cada história,isso mostra o quanto podemos melhorar sempre.É essa evolução da autora que me faz dar uma chance pra ela kkkkkkk
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)