Resenha #205: The Hate U Give - Angie Thomas (Balzer + Bray)

Share:
Título: The Hate U Give (BR: O Ódio Que Você Semeia)
Título Original: ---
Autor: Angie Thomas
Série: ---
Páginas: 464 (BR: 378)
Ano: 2017 (BR: 2017)
Editora: Balzer + Bray (BR: Galera Record)
Sinopse*: Uma história juvenil repleta de choques de realidade. Um livro necessário em tempos tão cruéis e extremos.
Starr aprendeu com os pais, ainda muito nova, como uma pessoa negra deve se comportar na frente de um policial.
Não faça movimentos bruscos.
Deixe sempre as mãos à mostra.
Só fale quando te perguntarem algo.
Seja obediente.
Quando ela e seu amigo, Khalil, são parados por uma viatura, tudo o que Starr espera é que Khalil também conheça essas regras. Um movimento errado, uma suposição e os tiros disparam. De repente o amigo de infância da garota está no chão, coberto de sangue. Morto.
Em luto, indignada com a injustiça tão explícita que presenciou e vivendo em duas realidades tão distintas (durante o dia, estuda numa escola cara, com colegas brancos e muito ricos - no fim da aula, volta para seu bairro, periférico e negro, um gueto dominado pelas gangues e oprimido pela polícia), Starr precisa descobrir a sua voz. Precisa decidir o que fazer com o triste poder que recebeu ao ser a única testemunha de um crime que pode ter um desfecho tão injusto como seu início.
Acima de tudo Starr precisa fazer a coisa certa.
Angie Thomas, numa narrativa muito dinâmica, divertida, mas ainda assim, direta e firme, fala de racismo de uma forma nova para jovens leitores. Este é um livro que não se pode ignorar.


The Hate U Give Little Infants Fucks Everybody***. T-H-U-G L-I-F-E. Significa que o que a sociedade nos dá quando somos jovens, volta pior para eles quando nos soltamos.**

Desde que vi sobre The Hate U Give, já fiquei interessada justamente pelos assuntos abordados. Logo quando foi lançado, o livro caiu na boca e no gosto do povo. E não foi por menos.

O sentimento que prevaleceu foi raiva. Raiva de alguns personagens sim, mas principalmente por toda a situação que Starr se viu envolvida. Pior é que pensar que isso é uma realidade constante para os negros, não só nos EUA.

Starr é um personagem que vou lembrar por muito tempo. No começo, eu senti um pouco de raiva por conta de algumas atitudes quando se tratavam da sua vida em casa e na escola. Ao longo da história, eu entendi o porquê delas. No fim das contas, Starr foi uma pessoa muito corajosa (ela odeia esse adjetivo) e resiliente. Sabendo de tudo que poderia acontecer com ela e sua família, ela deixou o medo de lado em nome da justiça pelo seu amigo. Confesso que nessa situação euzinha não saberia o que fazer. De início ela se sente intimidada sim (afinal quem não estaria?), mas seu senso de justiça falou mais alto.


Enquanto eu lia, me lembrei muito das séries Todo Mundo Odeia o Chris e Dear White People. É como se essas duas séries tivessem tido um filho. Muitas das situações apresentadas no livro também foram abordadas em Dear White People. Já a outra série, eu lembrei por causa da família de Starr e sua vizinhança até que, apesar das gangues e afins, também existem pessoas de bem. Porque, venhamos e convenhamos que no Brooklyn na época que se passa Todo Mundo Odeia o Chris não era das melhores vizinhanças.

Os personagens secundários foram MARAVILHOSOS. Destaque para a família de Starr. Seus pais - Maverick “Big Mav” e Lisa - são pais maravilhosos ao mesmo tempo que sempre atentam a realidade que vivem por serem negros, mas nem por isso eles se envergonham do que são. Seus irmãos - Seven e Sekani - são ótimos, principalmente na velha rixa entre irmãos, mas sempre apoiando Starr em tudo.

- O que é Tumblr? É como o Facebook?
- Não, e você está proibida de ter um. Nenhum pai é permitido. Vocês já assumiram o Facebook.
- Você ainda não respondeu à minha solicitação de amizade.
- Eu sei.
- Eu preciso das vidas no Candy Crush.
- É por isso que nunca responderei. **

Personagens também que merecem destaque são Carlos (tio de Starr) e Chris (namorado dela). Carlos é como um segundo pai para Starr e é bem perceptível o quanto ele se preocupa com ela. Também vemos seu conflito por conta de toda situação, visto que ele é policial e conhece o outro que está envolvido. Já Chris é o porto seguro de Starr em “sua outra vida”. Apesar de terem algumas desavenças, Chris ama Starr pelo jeito que é e não tenta mudá-la.

Chris encosta sua testa na minha.
- Me desculpe.
- Você não fez nada.
- Mas eu sinto que deveria pedir desculpa em nome de todas as pessoas brancas.
- Você não tem.
- Mas eu quero.**

Uma personagem que arrancou ódio foi Hailey. Essa garota é a pura personificação daquelas pessoas que fazem comentários preconceituosos e racistas mas se diz não-racista. Nesses momentos, quis arrancar os olhos dela e fazer churrasquinho. (Se ela pode perguntar pra amiga de descendência chinesa se ela comeu gato, eu posso fazer isso sim)

A escrita de Angie é bem fácil e muito jovial. O livro é cheio de referências pops, como Harry Potter, Jonas Brothers, High School Musical e, não podendo faltar claro, Um Maluco no Pedaço. A história não é cheia de rodeios, tanto que pegamos logo o impacto da situação no segundo capítulo. Confesso que tive a sensação que a história seria corrida, mas a verdade é que ela se desenrola a partir do papel que Starr se vê envolvida.

O livro também é cheio de elementos da cultura negra e isso faz com que o livro seja rico em cultura. Se tem algo que os negros nos EUA tem orgulho é de sua cultura. Temos referências a negros que fizeram a diferença e lutaram contra o racismo, como Tupac, Malcolm X, Mather Luther King, entre outros. Mas o melhor de tudo foi a menção ao Black Jesus.

O livro já foi lançado aqui no Brasil com o título de O Ódio Que Você Semeia, pela Galera Record. Eu dei preferência em ler a edição em inglês porque algo sempre se perde na tradução e também por medo dos personagens se tornarem caricatos. (Fora que a Galera Record e GER perderam altos pontos comigo com algumas traduções)

Angie (olha a intimidade) comentou no Twitter que os direitos de adaptação foram comprados antes mesmo dela terminar de escrever. O motivo foi o assunto abordado na história. Confesso que sempre fico com medo disso, já que os autores podem ter um curto espaço para terminar a história. Ainda bem que não foi aqui o caso.

Ainda no Twitter, a autora divulgou boa parte do elenco escalado para adaptação. Só posso dizer que estou bastante satisfeita porque boa parte eu já conheço o trabalho e, enquanto lia, super visualizei os atores escolhidos nos personagens. Já adianto: um cast desses, bicho!!!!!

Amandla Stenberg
Algee Smith
Amandla Stenberg será Starr. Desde que foi anunciada essa adaptação, eu sabia que ela seria escalada porque não tem outra pessoa para interpretar Starr, a não ser ela. Amandla é conhecida pelos personagens Rue (Jogos Vorazes) e Mandy (Tudo e Todas as Coisas). Ela também estará presente na adaptação de Mentes Sombrias, de Alexandra Bracken (em fase de produção). Khalil será interpretado por Algee Smith.

Russell Hornsby
Regina Hall
Maverick aka Big Mav e Lisa serão interpretados por Russell Hornsby e Regina Hall. Russell é mais conhecido pelo personagem Hank Griffin em Grimm; e Regina Hall é conhecida por participar da franquia Todo Mundo em Pânico.









Lamar Johnson
Sabrina Carpenter
Seven será interpretado por Lamar Johnson, conhecido por participar da série The Next Step: Academia de Dança. Sabrina Carpenter, conhecida pela série Girl Meets World, dará vida à Hailey.










Common
Issa Rae
Carlos será interpretado pelo rapper Common, que também participou do filme Selma. April Ofrah será interpretada pela maravilhosa Issa Rae, que estrela e produz a série Insecure (que recomendo bastante e estou devendo um post sobre ela pra vocês).








George Tillman Jr.
O diretor dessa história maravilhosa vai ser George Tillman Jr, que já dirigiu os filmes Homens de Honra e Uma Longa Jornada.










The Hate U Give/O Ódio que Você Semeia é um livro young-adult sim, mas que todo mundo deveria ler, não importa qual cor seja a sua pele.

Eu vi isso acontecer uma e outra vez: um negro é morto apenas por ser negro, e todo o inferno se solta. Eu tweetei RIP hashtags, rebloguei fotos no Tumblr e assinei petições. Eu sempre disse que, se eu visse acontecer com alguém, eu teria a voz mais alta, certificando-me de que o mundo sabia o que havia acontecido.**


* Sinopse retirada da edição da Galera Record
** Traduções feitas por mim
*** "O ódio que você dá às crianças fode todos"

22 comentários:

  1. Olá!
    Achei super interessante e necessário.
    Muita gente precisa levar um tapa na cara sem mão. Principalmente muitos adolescentes de hoje em dia.
    Beijos
    5 O'clock Tea

    ResponderExcluir
  2. Oi Luiza!
    Esse livro parece ser incrível! E também muito real, infelizmente. Espero que certas pessoas leiam e repensem suas ações depois dele.
    Que legal que vai virar filme, vou querer ver.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  3. Oi Lu,

    Adorei a resenha, este tipo de livro também faz a minha cabeça, e adorei mais ainda de saber da adaptação né, menina como a pequena Rue cresceu, está linda!!
    Amei a resenha!! Quero!!!
    O título é maravilhoso, não é?!

    Beijos Mila
    Daily of Books

    ResponderExcluir
  4. Oi oi Lu!
    Acabei de vir do Twitter, e quero dizer que as suas resenhas estão ficando cada vez mais maravilhosas (se isso for possível)!
    Quero muito ler esse livro, e pretendo comprar ele em eBook mesmo, pois sei que todo o enredo do livro é bem intenso. Espero gostar da leitura, que pretendo fazer em breve. E sobre a adaptação... não tinha como fazer um filme sem citar a maravilhosa atriz Amandla ♥

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  5. Eu já tinha visto uma resenha desse livro e já tinha ficado interessada por causa dos assuntos que ele aborda e agora sabendo que tem o selo balaio de babados de qualidade... menina, eu tô correndo atrás desse livro é AGORA! hahaha. E PELO AMOR DE DEUS OLHA ESSE ELENCO MARAVILHOSO! Preciso ler antes de ver a adaptação. Nem preciso dizer que amei a resenha, né? Ah, e eu jurava que seguia o Balaio de Babados, mas pelo jeito não (????), de qualquer jeito, já resolvi isso haha.
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
  6. Oi, Lu. Já amei o conteúdo da história e com toda a certeza vou dar uma chance ao livro. Acho que a escala de atores para o filme está condizente com os personagens e eu não sabia que a atriz que interpretava a Rue é a mesma que a Mandy. Gente, estou ficando velha!!!!
    Beijos
    http://www.leitoraencantada.com/

    ResponderExcluir
  7. Bem interessante né?

    Beijos,
    www.thalitamaia.com

    ResponderExcluir
  8. Sendo favelada de raiz, trabalhando a vida toda em instituições educativas dentro dessa zona de conflito de cara me sinto impelida a ler esse livro. Mas confesso que vou demorar a fazer isso, estou exausta demais de viver essa realidade... Hoje estou exausta, tem dias que pesa sabe! Mas vou ler sim, por tudo que li sobre esse livro por tudo que vivo e vejo as pessoas negras da minha vida vivendo (pai, tios, primos, alunos, alunas) não posso deixar esse livro no cantinho dos ignorados de jeito nenhum.

    Jaci
    Uma Pandora e Sua Caixa

    P.S.: Quando vocês criticam as traduções sinto uma grande urgência em simplesmente voltar a lutar para aprender inglês.

    ResponderExcluir
  9. UAU!! Também lembrei muito de Dear White People. Parece ser um livro super poderoso, sabe?! Que a gente reflete por um tempão. Estou encantada! Quero muito filme!!!

    beijo
    eu-ludmilla.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Muito bacana abordarem um tema tão "forte" assim em uma história, e ainda mais legal saber que você adorou. Eu não conheço o livro ainda, mas fiquei muito interessada. E esse elenco está um arraso!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Lu!

    Que resenha maravilhosa! Espero me expressar tão bem :), eu recebi o livro da editora aqui em casa e estou muito curiosa, imagino que passa tanta coisa pela cabeça e que gente sente tanta coisa, mas infelizmente e uma realidade e eu sei que vou fica mexida com o livro, e que vou ficando pensando e pensando e assim como você não vou me esquecer da personagem. Espero mesmo que muitas pessoas leiam eu vou começa na próxima semana.

    Beijinhos

    Resenha Atual

    ResponderExcluir
  12. Quero tanto ler este livro, soube que vai ser lançado muito em breve em Portugal! =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  13. Oi Lu! Eu ainda quero ler esse livro em algum momento na vida e acho até que merece bem mais marketing do que está tendo. Fiquei bem feliz quando vc me contou sobre o filme, parece ser uma obra que merece ser contada em diferente meios! Quanto a tradução, infelizmente, não posso opinar! rs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  14. Oi, Lu

    Eu quero ler esse livro, mas a coisa anda bagunçada por aqui! hahaha
    Bacana o livro ter referências, acho divertido quando algo que li ou assisti aparece em uma leitura.
    Só acho que há muitas outras atrizes negras lá fora, Amandla já está virando arroz de festa.

    Beijo
    - Tami
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  15. Oi Lu, tudo bom?
    Eu tô chorando arco-íris lendo esse livro ao mesmo tempo em que meu emocional e psicológico tá sendo muito abalado pelo poder dessa história. Acho que é uma das obras mais impactantes que já li; os discursos dentro dela são sutis, mas tem muita importância.
    Também acho que mistura bastante de Todo Mundo Odeia o Chris e Dear White People; eu senti muita vibe de Um Maluco no Pedaço também (intencionalmente né, já que a Starr ama). Essas séries que mostram empoderamento negro junto com tudo o que eles têm que aguentar de preconceitos e de uma sociedade elitista; é assustador pensar que a cor de pele de uma pessoa é influência pro julgamento alheio. Igual a quote ali do Chris, se pudesse representar todas as pessoas brancas, pediria desculpas.
    Amei sua resenha! Tô muito ansiosa pra terminar o livro.
    E SIM, UM ELENCO ESTELAR DESSES, BICHO! Queria que saísse em época de indicação ao Oscar porque ó, eu acho que com muitas atuações ai conseguiria, viu.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  16. Amo histórias que nós fazem refletir, acredito que essa alcança bem isto. Já anotei a dica Lu! ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  17. Luiza, como ainda não conhecia esse livro? Fiquei super curiosa para lê-lo!
    Bom saber que rolará adaptação!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  18. Oi, Luiza! Tudo bem? Livros como esse são bastante importantes. Seria muito bom se todo mundo lesse uma obra como THUG. E ah, você citou Todo Mundo Odeia o Chris! AMO TANTO! <3

    Abraço

    https://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oi Lu!
    Eu já tinha uma vontade imensa em ler essa obra, mas após a sua resenha quero esse livro pra ontem! Parece ser uma história incrível mesmo, e só pelo que você falou estou odiando a Hailey. Espero ter oportunidade de ler o quanto antes e já estou ansiosa pelo filme.
    Beijos

    www.lendoeapreciando.com

    ResponderExcluir
  20. AAAAAA, meu Deus, cada vez que leio algo sobre esse livro, preciso ler ainda mais! 😍 Amei sua resenha Lu!
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Oi Luiza!
    Que história forte,emocionante!É inacreditável como o preconceito ainda está tão em evidência na cultura das pessoas.Ter livros falando sobre isso,mostrando o impacto que isso tem na vida das pessoas é mega importante.
    Já vi que é um livro que vai me prender do início ao fim!
    Linda resenha!
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)