Resenha #529: Aurora Burning - Amie Kaufman & Jay Kristoff (Knopf Books for Young Readers)

Share:
Título: Aurora Burning
Título Original: ---
Autor: Amie Kaufman & Jay Kristoff
Série: Aurora Cycle #2
Páginas: 521
Ano: 2020
Editora: Knopf Books for Young Readers
Sinopse*: Nossos heróis estão de volta. . . mais ou menos. Dos co-autores mais vendidos do Illuminae Files, vem o segundo livro da série épica sobre um esquadrão de desajustados, perdedores e casos de disciplina que podem ser a melhor esperança de sobrevivência da galáxia.
Primeiro, as más notícias: um mal antigo - você sabe, sua agenda padrão de consumir toda a vida na galáxia - está prestes a ser desencadeado. As boas notícias? O Esquadrão 312 está à disposição para salvar o dia. Eles só precisam cuidar de algumas pequenas distrações primeiro.
Como o clã de gremps que gostaria de reorganizar seus rostos favoritos.
E o quadro de agentes ilegais do GIA com flores assustadoras onde costumavam estar os olhos, que não param por nada até pôr as mãos em Auri.
Depois, há a irmã perdida de Kal, que não está exatamente feliz em ver seu irmão bebê, e tem um exército syldrathi nas costas. Com metade da galáxia atrás deles, o Squad 312 nunca se sentiu tão desejado.
Quando eles descobrem que o Hadfield foi encontrado, é hora de sair do esconderijo. Dois séculos atrás, a nave-colônia desapareceu, deixando Auri como sua única sobrevivente. Agora, sua caixa preta pode ser o que os salva. Mas o tempo é curto, e se Auri não conseguir aprender a dominar seus poderes como Trigger, o esquadrão e todos os seus admiradores estarão mais mortos do que o Grande Ultrasauro de Abraaxis IV.
Revelações chocantes, assaltos a bancos, presentes misteriosos, roupas inadequadamente apertadas e um tiroteio épico determinarão o destino dos heróis mais inesquecíveis da Aurora Legion - e talvez também o resto da galáxia.


ATENÇÃO! Se você não leu os livros e/ou resenhas anteriores, pode conter spoiler

Aurora Burning era uma das minhas continuações mais esperadas desse ano. Com perguntas respondidas, revelações e um final bombástico, esse livro já entrou na lista de melhores continuações do ano.

O livro começa um pouco depois dos acontecimentos de Aurora Rising. Depois de conhecer a verdadeira ameaça a Aurora e sofrerem uma baita perda, nosso squad 312 é a única salvação de toda a galáxia. Mas claro que eles vão ter que passar por alguns pequenos obstáculos, como serem perseguidos por uma psicopata assassina, uma máfia de gremps e, por último mas não menos importante, praticamente pela maior autoridade da galáxia que foi infiltrada por um ser simbiótico que pretende "unir" todo mundo.

Fazia muito tempo que não lia uma continuação tão emocionante. Amie e Jay conseguiram avançar não somente na história, mas no crescimento dos seus personagens. A cada vira de página, era uma informação nova e seguidas de várias outras perguntas que só atiçavam a minha vontade de continuar a leitura até terminar.

Sabemos um pouco mais sobre o papel de Auri em derrotar a grande ameaça, como ela se relaciona com um outro povo que já havia derrotado anteriormente essa ameaça. E, apesar de parecer mais um entre as milhares ameaças para as forças da Aurora Legion, sabemos mais sobre o Starslayer e como ele se relaciona com tudo isso.

O livro possui ação do início ao fim. Esse quesito é 10/10 nas narrações dos dois autores. As cenas são bem descritas e eletrizantes, de deixar o coração na mão. Quem acompanhou meus surtos nos stories do instagram sabe que o Squad 312 é um eterno "a gente vai viver/a gente vai morrer".


Sobre os personagens, cada um teve seu momento de brilhar e crescimento. Se o livro anterior foi focado em Aurora, nesse livro sabemos mais sobre o passado dos outros personagens. Algumas são revelações de cair o queixo, outras de deixar o coração partido, mas todas servem para entendermos melhor como elas moldaram a personalidade de cada um.

Destaque para Zila que, até o livro anterior, era uma grande incógnita tanto para mim quanto para todo o Squad. Ela surpreende em momentos de tensão, quase sempre com uma solução mirabolante. Finian segue sendo um dos meus personagens favoritos. Com seus comentários sempre ácidos quase sempre de uma forma meio alívio cômico, ele também tem um baita amadurecimento e crescimento no livro, principalmente na questão da sua insegurança e medo de abandono.

Scar e Tyler também me surpreenderam bastante. Sempre admirei bastante Tyler e seu senso de liderança, disposto a se sacrificar por seu squad e tento manter a moral do grupo, mesmo quando não sabe o que está fazendo. Por culpa do destino, Scar teve que assumir o lugar de Tyler e, apesar de sempre apresentar uma fachada de pessoa que só se importa com namorados e roupa, a Face do grupo soube muito bem preencher o lugar do irmão.

Creio que Kal foi o único personagem que se manteve constante, principalmente em relação a Auri. Desde o livro anterior, vemos como o Syldrathi luta com um "inimigo interior" ao mesmo tempo que tenta que isso não interfira em sua ligação com Auri. Já nossa garota fora do tempo finalmente aceita seu papel nessa confusão toda e, ao contrário do que lhe foi ensinado durante um treinamento, ela sabe que não precisa sacrificar tudo para salvar a galáxia.

De alguns personagens novos dou destaque a Saedii, irmã de Kal. De início eu só queria saber de arrastar a fuça dessa Warbreed no asfalto quente, mas lá pelo final ela acabou conquistando um pouco da minha simpatia. Ela se vê envolvida em uma situação tensa ao lado de nosso Alpha, o que gerou conversas interessantes sobre a visão de cada um em relação à animosidade entre os Unbroken e Aurora Legion.

O livro é divido em quatro partes, cada uma mais eletrizante que a outra. Ao final da parte 2 me senti lendo Cress novamente, com um sentimento de desespero maior do que o normal por esse squad. Mas são nas partes 3 e 4 que você não consegue mais largar o livro. Passei o livro todo fazendo teorias e algumas se confirmaram, o que fez com que o momento da revelação tivesse um maior impacto na minha pessoa.

Infelizmente tudo que é bom dura pouco e aqui, o final de Aurora Burning além de ser um baita gancho, me deixou seriamente preocupada com a vida desse squad de desajustados que não poderiam se encaixar melhor entre si. Agora me resta sobreviver até o ano que vem, pensando e amargurando esse final que realmente me deixou no chão.

A trilogia teve seus direitos de publicação aqui no Brasil comprados pela Rocco. Antes da pandemia a previsão era que Aurora Rising saísse agora no primeiro semestre, porém vamos torcer para que saia pelo menos no próximo.

Resenhas anteriores
Livro 1 - Aurora Rising


*Sinopse traduzida por mim

5 comentários:

  1. Olá, Luiza.
    Eu vi seus surtos com o livor lá no IG hehe. Eu não sou muito fã da Amy, mas gosto muito do Jay e por isso tenho interesse em ler os livros. Tomara que não demore muito para lançar.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Oiii Lu

    Rocco maravilhosa publica logo esse livro pelo amor de Deus!!!! Quero muito ler desde que vi a resenha de Aurora Rising, e espeor que mantenham essas capas originais, que estão incríveis.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  3. Esse livro é fantástico, super recomendo!

    Meu Blog: Resultado Trimania

    ResponderExcluir
  4. Oi Lu, eu não conheço a série, mas fico feliz que tenha sido uma ótima continuação. Gostei da descrição dos personagens e vou torcer pra ser lançado pela Rocco em breve!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Ah, mas essa é uma ótima notícia! Esse livro tem que sair logo aqui no Brasil, vou morrer de curiosidade, eu amo uma história como essa, foge tanto do habitual.
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)