Resenha #522: Ligeiramente Casados - Mary Balogh (Arqueiro)

Share:
Título: Ligeiramente Casados
Título Original: Slighty Married
Autor: Mary Balogh
Série: Bedwyns #1
Páginas: 288
Ano: 2014
Editora: Arqueiro
Sinopse: À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse "Custe o que custar!". Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum.
Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias.
Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar.
Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...
Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página.


Assim como qualquer leitor, recentemente eu estava desgastada de algumas leituras, inclusive chegando a abandonar duas seguidas! Pois é... eis que me voltei para um dos meus gêneros de conforto e achei que seria uma ótima chance de conhecer algum trabalho da Mary Balogh. Ligeiramente Casados não poderia ter sido a melhor pedida.

Primeiramente devo comentar o impacto que senti ao começar a ler o primeiro dos Bedwyns. Muitos já havia me comentado sobre a escrita da Mary ser mais madura e isso foi a primeira coisa que reparei. Eu leio muito mais Tessa e Lisa cujas narrações tem sempre um tom divertido e/ou ácido/sarcástico. Logo nas primeiras páginas de Ligeiramente Casados, eu senti uma melancolia na narração que permaneceu ao longo livro e, muito pelo contrário, eu achei um ponto super positivo.

Aidan é um homem com um código de honra bastante estabelecido na sua vida. A verdade é que sua vida é regida ao redor da sua honra, seja como amigo, coronel, marido... É por conta de sua honra que ele casa com Eve. O coronel é de personalidade bem distante e bastante prático, mas são nas suas ações que ele demonstra se importar com as pessoas. Não são todos os felizardos a esse posto, e os que são ele move céus e terras;

Eve é uma moça de alma gentil e bondosa, mas soube mostrar garra e determinação ao se impor, não somente a Aidan mas a toda sua família. A sua casa em Ringwood é tipo seu coração, sempre aberto para aqueles que necessitam de ajuda mas que são abandonados à sua própria sorte. E é pensando em seus incapazes que Eve acaba aceitando o casamento com Aidan.


Eve e Aidan não desejam interferir um na vida do outro, mas situações fazem com que vão convivendo mais e mais, até que o inevitável acontece. Eles demoram (e bastante) a verbalizar esse sentimento com medo do outro não corresponder por conta do acordo feito entre os dois. Eve tem medo que Aidan fique ao seu lado apenas por motivos de honra e uma promessa feita ao seu irmão. Aidan tem medo que, ficando ao lado de Eve, ele esteja atrapalhando toda sua vida e rotina.

Outro detalhe que me chamou atenção foi o fato da Mary realmente tratar a sociedade inglesa como realmente era naquela época. Poderiam sim ter existidos famílias calorosas e amorosas iguais as que vemos nas séries como Os Brigdertons, Hathaways e afins, porém não podemos nos deixar romantizar o fato do quanto a sociedade inglesa na época era soberba e arrogante, com as relações (sejam matrimoniais ou familiares) com uma frieza de fazer inveja a qualquer iceberg e eu gostei bastante de ver isso sendo retratado.

Ligeiramente Casados foi um ótimo primeiro contato com a autora, assim como um ótimo início de série. Estou bem curiosa para conhecer as histórias dos outros irmãos Bedwyns.

10 comentários:

  1. Eu ainda não conheço essa autora, mas eu fiquei muito interessada especialmente por você comentar de ser diferente dessas outras séries de romance de época, no que se trata da família. Fiquei curiosa!
    Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu! A Mary tem a escrita madura e adora drama. Eu amo os livros dela e apenas um desta série não curti muito (o da Morgan), mas os demais foram leituras sensacionais e o último, favorito. Adorei saber que você gostou. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  3. Oie Lu, tudo bem?

    Eu gosto muito dos livros da Mary. De todas as autoras de romances de época que já li, ela é a minha favorita, pois a narrativa dela tem um toque de maturidade que por mais clichê que a história seja, torna o desenvolvimento mais interessante.

    Já toda a série Os Bedwyns e amei!

    Beijos;***
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Lu!! Ai tô encantada que você tenha gostado tanto desse livro. A Mary é maravilhosa e eu adoro as obras dela porque me dão um panorama mais sério do que as outras autoras, mas isso não me faz gostar menos. Eu adoro a Eve, e todos os personagens que ela acolhe. Sinto vontade de reler, já que tem 4 anos que eu li essa série, mas vamos por partes.
    Beijo!
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi
    que bom que gostou da leitura, parece ser um bom livro, só leio comentários positivos dessa série, eu gosto da escrita dela e estou lendo a série Clube dos Sobreviventes e estou gostando.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Lu! Tudo bom?
    A Mary tá na minha listinha pra ler eventualmente, só não sei quando por motivos de falência atualmente UHASUHASUHUHASUHAS gostei de saber da diferença de narrativa. Já senti isso da Tessa pra Lisa Kleypas, e ainda não tinha essa coisa melancólica. Fiquei curiosa!

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi, Lu

    Eu ainda preciso do Ligeiramente Maliciosos para completar a série, aí sim vou dar início. Por enquanto sigo lendo a série Clube dos Sobreviventes, que também é maravilhosa.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Lu!
    Ainda não li a obra e nem sabia muito sobre o que era, mas achei bem legal a sua resenha. Adorei esse tom de melancolia e da Mary retratar esse lado da sociedade. Já quero ler esse livro!
    Beijos

    www.lendoeapreciando.com

    ResponderExcluir
  9. Eu simplesmente adoro as histórias da Mary! Eu gostei bastante dessa série, principalmente do terceiro que é da Freyja. Sério, tem que ler o livro dela!
    A declaração do Aidan é linda, principalmente porque ele não é de se declarar assim e expressar emoções facilmente. Amei essa casal!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)