Resenha #458: Man Card - Sarina Bowen & Tanya Eby (Tuxbury Publishing LLC)

Share:
Título: Man Card
Título Original: ---
Autor: Sarina Bowen & Tanya Eby
Série: Man Hands #2
Páginas: 246
Ano: 2018
Editora: Tuxbury Publishing LLC
Sinopse*: ASH
Ainda não sei como aconteceu. Um minuto, eu estava discutindo com meu concorrente arrogante - nossa conversa fiada sobre quem merece a comissão maior. Mas de alguma forma eu fui enjoada a ajoelhada na sua frente...
Isso nunca pode acontecer novamente. Eu nem gosto de Braht. Ele é muito esperto. Ele é um homem festeiro manipulador de roupas casuais.
Então, por que não consigo tirá-lo da minha cabeça?
BRAHT
Há duas coisas que sei sem dúvida. Um: Ash e eu estamos destinados um ao outro. Dois: nunca confie em um homem com uma monocelha.
Ash é minha peça que falta. Ela é o creme doce para o meu café expresso gourmet. E nada me faz ir mais rápido que o desprezo dela por mim. Eles não a chamam de Ashkicker por nada.
Eventualmente, eu a conquistarei... se meu passado não estragar tudo primeiro.


Se você não leu os livros e/ou resenhas anteriores, não se preocupe
Essa resenha é livre de spoilers

Man Card é o segundo livro da série Man Hands. Como todas as outras histórias da série, pode ser lido separadamente. Apesar de algumas ressalvas, foi uma leitura tão gostosinha quanto os outros livros.

Ash é uma personagem super girl power. Determinada e super independente, ela não abaixa a cabeça para nada e ninguém. Resiliente, Ash conseguiu se reerguer após se ver envolvida em um esquema de fraude arquitetado por seu ex-marido. Infelizmente, toda essa decepção a deixa um tanto insegura em confiar em homens e entrar em um novo relacionamento. Ela só não contava com a última pessoa do mundo para derrubar suas paredes.

Braht tem tudo para ser um Chernobyl radioativo over nine thousand, mas passa bem longe dessa categoria. Charmoso e sedutor, Braht também um cara carinhoso, apaixonante e solidário. Seus sentimentos por Ash são antigos e ele não tem vergonha alguma de deixar explícito para quem quer que seja.


Um detalhe que gostei bastante na história foi a questão da desconstrução masculina. Braht é um homem que gosta de ser vestir bem, vai na mani-pedi periodicamente, assiste comédia romântica… são detalhes que ele não sente que abala nem um pouco sua masculinidade. Interessante mais ainda é ver ele pontuando essas questões a Ash, que levanta essas questões sobre a revogação de seu cartão de homem.

Para Ash, Brath é a própria definição do “Deus me livre, mas quem me dera”. Já o corretor sempre foi apaixonado pela sua concorrente. Assim como nos outros livros, o relacionamento entre os dois é bem trabalhado, principalmente da parte de Ash. A química entre os dois salta das páginas e suas interações são sempre regadas a respostas rápidas e diálogos divertidos.

Apesar de ter curtido bastante a história, um fato que me incomodou em alguns momentos foi a falta de confiança total entre Braht e Ash. Entendo que ambos tem seus traumas do passado, mas uma simples conversa poderia ter poupado alguns estresses. Ainda bem que essa série não é dada a muito drama e nem casais separados por muito tempo, então logo tudo se resolveu

Sei que as capas dessa série não são muito convidativas, mas garanto a vocês que cada história vale muito a pena conferir se você está procurando uma leitura despretensiosa e divertida.

Resenhas anteriores
Livro 1 - Man Hands
Livro 4 - Man Cuffed

7 comentários:

  1. Olá...
    Achei a história bem interessante e achei legal essa desconstrução masculina, acho que nunca li algo parecido! É uma pena ser um livro que não tenha sido publicado no Brasil, pois, fiquei curiosa pra ler!
    Bjão

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu, quanto tempo hehe
    Adorei o Chernobyl radioativo over nine thousand hahaha
    Eu gostaria de ler essa série, principalmente por ser de Sarina e eu ter lido apenas um livro dela.
    Adorei sua resenha, tem pontos que amo em um bom livro, diálogos divertidos, química que salta nas páginas..

    Beijos Mila

    Daily of Books Mila

    ResponderExcluir
  3. Eu realmente gostei desses livros, suas resenhas são muito boas apontando o aspecto crítico da obra. Quem sabe eu leia mais pra frente, só tenho algumas leituras pendentes haha
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  4. A velha história da falta de conversa, né? Mas ainda assim parece uma ótima leitura mesmo Lu!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Oi Lu,
    O que mais me faz gostar do livro e querer ler é essa desconstrução masculina que hoje em dia é dificil de achar! Já tinha ficado animada com o livro 1 dessa série e agora quero o 2 também, rs.
    P.S.: As capas não são legais mesmo!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá, Luiza.
    Eu ia falar dessa capa. É horrorosa hehe. Eu gosto do enredo e de sempre ver você falando sobre a autora aqui estou curiosa com seus livros. Eu acho super legal quando os autores constroem personagens masculinos que não tem medo de admitir que gostam de coisas que são dadas como de mulheres. Se publicar por aqui vou querer ler.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)