Resenha #328: Freud Me Ajude! - Sinéia Rangel

Título: Freud Me Ajude!
Título Original: ---
Autor: Sinéia Rangel
Série: ---
Páginas: 300
Ano: 2018
Editora: Independente
Sinopse: Aos olhos dos outros, Catarina Albuquerque é uma mulher superficial e egoísta. À primeira vista, ninguém saberia a profundidade das suas angústias.
Intimada por seu pai para voltar ao Brasil, ela não sabia o que a esperava quando chegou ao haras, no interior da Bahia. Percebeu que a sua estadia seria tão complicada quanto emocionante ao conhecer Vítor Lobato. Um peão chucro, rude e com quem teria que aprender a conviver.
Ela tem um ano. Exatos 365 dias para provar que pode enfrentar os seus fantasmas e assumir as rédeas da sua vida. Então poderá decidir-se entre ir embora ou ficar.
Que Freud a ajude!


Leitura recomendada para maiores de 18 anos

Creio que, de todas as resenhas que eu fiz/farei na vida sobre os livros da Sinéia, essa é a mais difícil. Esse drama todo porque eu fui convidada por ela a fazer o prefácio de Freud Me Ajude!. Então, como resenhar um livro que você já colocou todos os seus sentimentos no prefácio? Cenas dos próximos capítulos…

Catarina é uma psicóloga que residiu moradia por muito tempo fora do Brasil. A pedido do seu pai, ela volta para sua cidade-natal. O que ela achava que seria só uma visita rápida se tornou uma estadia por um ano, trabalhando no haras ou seu pai cortaria todo seu sustento.

Obrigada a ficar morando e lidando com cavalos de dia e mosquitos a noite, Catarina encontra em Vitor (empregado do haras) uma boa distração para o tempo que ela irá permanecer por lá. Dessa vez, nem Freud pode ajudar no sentimento que nasce entre os dois.

De início você pode achar que Catarina é só mais uma com rich people problems na vida, mas Sinéia sendo Sinéia não iria deixar barato assim, minha gente. Por baixo de toda essa fachada de mulher fria, há uma pessoa com inseguranças e traumas na vida, principalmente no que se trata de deixar outras pessoas entrarem em sua vida.

Vitor é o peão encantado que todo mundo queria encontrar na sua vida. Apesar do jeito bruto em certos momentos, o cara é um fofo, preocupado com as pessoas ao seu redor, sentindo-se responsável por tudo e todas e super dedicado ao seu trabalho. Aos poucos com seu jeito, ele vai quebrando as paredes de Catarina e não tem vergonha de assumir seus sentimentos pela mulher.


Como sempre, Sinéia trabalha maravilhosamente bem os personagens secundários. Você vai rir das discussões bestas entre Rubens e Nina, assim como vai querer sentar na cozinha da dona Mirna e comer um pedaço de bolo quentinho. Tanto eles quanto a ambientação do local faz você se sentir parte daquela comunidade e desejar estar lá junto deles.

Mas, claramente, nada é muito fácil com Sinéia. Apesar desse livro tem um clima mais leve que os outros que li dela, não é um livro da Malévola sem um pouco de sofrência… Adoro que Sinéia traz uns assuntos um tanto diferentes para suas histórias, sendo bem perceptível a pesquisa minuciosa que ela fez para poder abordar.

Uma pausa para comentar sobre essa capa maravilhosa! Desde o início da história, fica bem claro como água que Catarina é negra. Não morena; não pele bronzeada; negra e essa capa é praticamente um desenho de Catarina feito em aquarela pelo Vítor. Na hora que Sinéia liberou a capa, eu disse "ela é muito Catarina!".

Freud Me Ajude! já se encontra disponível na loja Amazon. Espero que a história de Catarina e Vitor te conquiste do modo que me conquistou. Pois como comentei no prefácio: “Freud Me Ajude! vai tirar aquela ideia de que não acontece nada em cidades do interior e mostrar que morar em uma pode ser até mais divertido do que na cidade grande. Que você pode se apaixonar não só por alguém, mas também pela sensação de pertencer a um lugar que nunca imaginou que poderia vir a se tornar seu lar…”

13 Comentários

  1. ah curti conhecer esse romance, parece bem gostoso de ler

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu, tudo bem?
    A história a princípio não me cativou, por isso não sei se leria no momento. Mas amei a capa e uma modelo negra de cabelo cacheado nela. <3
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  3. Oi Lu! Eu virei fã da Sinéia tendo lido apenas um livro dela e, é claro, que esse já foi para a lista de desejados assim que vi tua postagem sobre ele. Já vou me preparar, porque imagino que nessa história não serão só flores, mesmo que possa parecer no início. Estou bem curiosa para ler o prefácio que escreveu!
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Luiza, tudo bem?
    Gostei muito da premissa, vim do interior, do meio dos cavalos, e realmente, a vida no interior é cheia de boas experiências, mas não troco minha cidade grande por nada hahahaha
    Adorei a resenha, espero ter a oportunidade de ler esse livro um dia!

    Obrigada pelo carinho. Volte sempre!
    Um super beijo :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  5. Oi, Lu! Tudo bom?
    Eu tô numa vibe muito de Fantasia e Ficção Científica então acabei não me interessando tanto pelo plot, mas adorei teu entusiasmo com a história! E representatividade negra na literatura é sempre muito bem-vinda e apreciada, essa capa é realmente maravilhosa.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Ahhhh, meu coração!!!
    Não satisfeita em me arrasar com aquele prefácio, a pessoa escreve uma resenha dessas bicho!
    Obrigada, Lu! Amei demais <3

    ResponderExcluir
  7. Luuuuuuuuu
    Logo de cara eu vi a capa e pensei: que maravilhosaaaaa!
    E aí vi você falando sobre ela mais embaixo da resenha e fiquei com mais amor ainda.
    Adorei a pegada do livro, que apesar de ser aquela coisa de peão e menina rica apaixonados, parece que é muito mais profunda e interessante.
    Já quero!

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  8. Olá, Luiza.
    Amei a capa e adorei saber que a protagonista é negra. É tão dificil de achar uma protagonista que não seja branca. Mas o enredo não me interessou tanto. Mas pode ser que eu leia futuramente. E parabéns pelo prefácio, muito chique hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Oie Lu =)

    Representatividade na literatura é tudo de bom! Fico cada vez mais feliz em ver os autores investindo nisso.

    Sobre a história em si, confesso que no momento a premissa não me chamou muito atenção. Mas, fico feliz que você tenha gostado e se envolvido com a história.

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  10. Oi Lu! Eu nunca li nada da autora, mas os livros dela sempre me parecem bem dortes e muito bem desenvolvidos! Que bom que vc curtiu!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  11. Oi Lu!
    Uma negra ricah, que milagre! Obrigada Sineia! rsrs
    E a capa está linda mesmo!
    Muito legal vc ter escrito o prefácio *-*
    Gostei da história, hein? :)
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Lu,
    Acho que leria sim! Gostei da premissa, da representatividade, do fato de ser uma história de interior para surpreender o leitor.
    Desejo muito sucesso a autora! Ah, e parabéns por escrever o prefacio ;)
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)